Edição Anterior

A primeira edição do Levante aconteceu no ano de 2021, entre os dias 23 a 29 de março, de maneira totalmente online e gratuita. Durante o evento, os espectadores puderam acompanhar 26 filmes em formato de curta-metragem, além de um longa-metragem realizado pelo cineasta homenageado na edição. Neste período, também foram oferecidas outras atividades online organizadas pelo festival, como debates com a presença dos realizadores das obras e rodas de conversa temáticas, dedicadas tanto ao campo do cinema em live-action quanto ao cinema em animação.

No campo dos seminários, tivemos seis convidados que compuseram nossas três conversas temáticas: o crítico e professor Marcelo Ikeda conversou com Rubens Fabricio Anzolin sobre um caminho para os filmes brasileiros, abordando estratégias alternativas de distribuição cinematográfica. Já os pesquisadores Analu Favretto e Maurício Vassali deram uma aula aberta acerca de suas pesquisas acadêmicas, abordando formas de representação do trabalhador no cinema brasileiro. Por fim, a cineasta e animadora Amanda Treze conversou com Helena Hilário, diretora do premiado filme Umbrella (2019), indicado para a shortlist do Oscar, sobre as formas e possibilidades de produção de animações independentes no cenário do curta-metragem animado em nosso país.

Por sua vez, os debates com os realizadores foram marcados pela descoberta dos processos fílmicos, formando uma constelação de ideias e referências de como se produzir cinema no cenário atual do país, especialmente, apontando maneiras de desviar do parco orçamento destinado ao cenário cultural para que seja possível seguir praticando arte de forma autônoma e criativa. Ao todo, foram 9 debates com os realizadores, incluindo ainda uma conversa entre o crítico e professor Roberto Cotta com o cineasta pernambucano Felipe André Silva, realizador que teve sua obra homenageada em nossa primeira edição. Ao todo, foram exibidos 9 filmes de Felipe, incluindo o seu longa-metragem mais recente, Passou (2020). Com uma retrospectiva de curtas desde uma época mais fértil até um amadurecimento estético, o Levante jogou luz a um realizador que, além de merecer uma justa homenagem, também ajudou a fundar o cenário de um cinema mumblecore dentro do Brasil, elaborando cada vez mais as amarras estéticas entre jovens, adultos e relacionamentos afetivos conturbados, a partir de uma estética fluída, sutil e bastante corajosa.

Em 2021, o Levante também contou com três parcerias especiais, que compuseram a premiação do festival: a Associação de Críticos de Cinema do Rio Grande do Sul (ACCIRS), o NAVEGA – Rotas Criativas e o Centro Técnico Audiovisual (CTAv). A ACCIRS teve um júri da crítica formado por três integrantes da associação – Luciana Caldas, Thomás Boeira e Carlos André Moreira. Juntos, estes três premiaram filmes exibidos em ambas as mostras do evento. As obras premiadas pela júri da crítica receberam também os livros Lei da Ancine Comentada, Fissuras e Fronteiras – O Coletivo Alumbramento e o Cinema Contemporâneo e Cinecasulofilia, escritos pelo crítico e pesquisador Marcelo Ikeda, cuja obra literária sobre o cinema brasileiro tem tomado contornos cada vez maiores.

Já os outros parceiros também concederam láureas para os premiados pelo Levante. O CTAv ofereceu aluguel de equipamentos audiovisuais para o melhor projeto em desenvolvimento, premiado por um júri composto pelos professores Guilherme Carvalho da Rosa, Lanza Xavier e Roberto Cotta, que avaliaram mais de 10 projetos enviados pelos realizadores selecionados, fazendo assim com que o Levante pudesse, além de exibir o que de mais criativo se especulou em nosso cinema, ajudar também a fomentar novas produções e obras em circulação no circuito fílmico.

Com um alcance de mais de 5.000 visualizações em sua primeira edição, o festival proporcionou um encontro com vários realizadores e pensadores do cinema, dentre eles, aqueles que participaram da série de vídeos na plataforma do instagram do Levante chamada “Onde se escondem os filmes?”. Nestes vídeos curtos, realizadores como Marco Antônio Pereira e Lincoln Péricles indicaram filmes que eles julgavam “ainda não descobertos” dentro do cenário recente do cinema brasileiro. Em suma, obras que não receberam a devida atenção, e que cada dia mais carecem de uma revisão atenciosa acerca de suas possibilidades estéticas. Nesta mesma série, participaram também a crítica de cinema e curadora da Mostra de Cinema de Tiradentes Camila Vieira, a professora e editora da Revista Teorema Ivonete Pinto, e o editor do site Cine Festivais Adriano Garrett, além da crítica e cineasta gaúcha Juliana Costa.

Cabe ainda ressaltar que, no meio do ano, o Levante realizou uma edição especial, chamada Levante – Edição Molotov, onde cada um dos nossos seis curadores organizou sessões temáticas, que estiveram online entre 26/07 e 01/08. Além disso, a edição especial foi aberta com a Mostra Amores Impressos, curada e programada pelo crítico convidado Adriano Garrett. Neste curto espaço de tempo, o Levante – Edição Molotov, contou com 2000 visualizações nas obras, além de mais de 1000 interações nas transmissões ao vivo, realizadas pelo YouTube, onde pesquisadores, professores, críticos e cineastas foram convidados a debaterem os filmes exibidos. Nesse ínterim, contamos com a presença de figuras muito brilhantes de nosso cinema, como: Glaura Cardoso, Felipe André Silva, Fábio Rodrigues Filho, Laura Cánepa, Carlos Primatti, Ana Julia Silvino, Maria Trika, Juliana Costa, Eleonora Loner, Dácia Ibiapina, Rodrigo Carreiro, Guilherme Mautone, Julia Noá, Marcus Curvelo, Kariny Martins e James Zórtea. A Edição Molotov do Levante foi executado através do Edital Criação e Formação Diversidade das Culturas realizado com recursos da Lei Aldir Blanc n°14.017/20.

Premiados da primeira edição:

Prêmio CTAv
Jornada de Dezesseis Horas, de Clara Henriques e Luiza França

Júri da Crítica – ACCIRS
Menção Honrosa Crítica: A Escola É Nossa! (Othilia Balades, 2020, SP, 24′)
Prêmio da Crítica: As Canções de Amor de Uma Bixa Velha (André Sandino Costa, 2020, RJ, 22′)

Mostra Levante
Menção Honrosa – Maresia (Ju Choma e Rodrigo Tomita, 2021, PR, 18′)
Prêmio Especial do Júri – O Último Cinema de Rua (Marçal Vianna, 2020, RJ, 13′)
Melhor Filme – Dez Conto (Bruno Maciel, 2020, SP, 18′)

Mostra Animada
Contribuição Artística – Magnética (Marco Arruda, 2020, RS, 16′)
Menção Especial – Vento Viajante (Marlin Azul, 2020, CE, 6′)
Melhor Filme – Subnews – Uma Aventura Submarina (Alex Sandro, 2020, CE, 7′)

Equipe Técnica

DIREÇÃO ARTÍSTICA E PRODUÇÃO
João Fernando Chagas
Rubens Fabricio Anzolin

CURADORIA
André Berzagui
Gianluca Cozza
Lauren Mattiazzi Dilli
Lucas Honorato
Matheus Strelow
Victória Kaminski

DESIGNER
Julia Regis

IDENTIDADE VISUAL
Victória Araújo

VIDEOMAKER
Julia Leite

MÍDIAS SOCIAIS
Luana Durante

JÚRI OFICIAL
Marco Antônio Pereira
Analu Favretto
Leonardo da Rosa

JÚRI CTAv
Roberto Cotta
Guilherme Carvalho da Rosa
Lanza Xavier

JÚRI DA CRÍTICA – Associação de Críticos de Cinema do Rio Grande do Sul (ACCIRS)
Luciana Caldas
Thomás Boeira
Carlos André Moreira

CINEASTA HOMENAGEADO
Felipe André Silva

CURADOR CONVIDADO – Edição Molotov
Adriano Garrett

DEBATEDORES – Edição Molotov
Glaura Cardoso
Felipe André Silva
Fábio Rodrigues Filho
Laura Cánepa
Carlos Primatti
Ana Julia Silvino
Maria Trika
Juliana Costa
Eleonora Loner
Dácia Ibiapina
Rodrigo Carreiro
Guilherme Mautone
Julia Noá
Marcus Curvelo
Kariny Martins
James Zórtea